A Copa do Brasil 2020 começa hoje com 15 jogos, incluindo as estreias de Botafogo, Bahia e Goiás, entre os times que atualmente disputam a Série A do Brasileirão, e também clubes importantes na história do torneio nacional, como os campeões Santo André, Criciúma e Juventude.

A expectativa é de que a competição se estenda até o dia 16 de setembro. A fase atual começa com 80 times, e outros 11 vão entrar de maneira direta nas oitavas de final. São os oito representantes do Brasil na Libertadores-2020 (Flamengo, Athletico Paranaense, Santos, Palmeiras, Grêmio, São Paulo, Corinthians e Internacional), além de três clubes classificados por outros critérios da CBF: Fortaleza (campeão da Copa do Nordeste 2019), Red Bull Bragantino (campeão da Série B de 2019) e Cuiabá (campeão da Copa Verde de 2019).

Para entrar no clima da Copa do Brasil, o Blog do Allan Simon checou o regulamento oficial da competição para relembrar e esclarecer dúvidas que possam surgir nos torcedores, além de conferir mudanças que possam ter acontecido da edição anterior para cá. E há uma importante, que destacamos logo no primeiro item. Confira:

1 – Agora os times da Libertadores podem se enfrentar nas oitavas de final

Não há mais a “proteção” para evitar choques diretos entre times que disputam a Libertadores logo nas oitavas de final da Copa do Brasil. Até 2019, havia a separação em dois potes. Os oito representantes brasileiros na competição continental ficavam em um deles.

Campeões da Série B, Copa do Nordeste, Copa Verde e os outros cinco sobreviventes entravam no outro, e os duelos eram necessariamente a oposição de um time da Libertadores com uma equipe que não participou da competição continental.

O regulamento da Copa do Brasil 2020 é bem direto em seu artigo 15º:

Art 15 – Os confrontos da 5ª fase serão conhecidos através de sorteio onde os 16 (dezesseis) clubes poderão se enfrentar.

Veja qual era o texto no regulamento da Copa do Brasil 2019. O mesmo ponto estava no quinto parágrafo do artigo 9º:

§ 5º – Os confrontos da Quinta Fase (Oitavas-de-Final) ocorrerão necessariamente entre
um clube do Bloco A e um clube do Bloco B: o Bloco A contempla os clubes participantes
da Copa Libertadores da América de 2019 (total de sete), com o bloco sendo completado
com o melhor colocado no Campeonato Brasileiro da Série A/18 excetuando-se os clubes
da Libertadores; caso tenhamos oito clubes na competição continental, estes comporão o
Bloco A. O Bloco B terá os cinco clubes classificados na Quarta Fase mais os três clubes
que também acessarão a Copa na Quinta Fase: o campeão da Copa do Nordeste/2018, o
campeão da Copa Verde/2018 e o campeão do Campeonato Brasileiro da Série B/2018.

Ou seja, prepare o seu coração: pode haver um qualquer clássico paulista, já que os quatro grandes do estado estão na Libertadores em 2020, e ainda um Grenal logo na estreia desses times na Copa do Brasil.

2 – O vice-campeão da Copa do Brasil não pode ter direito a uma vaga na Libertadores ou Supercopa do Brasil

O artigo 5º é quem trata da vaga na Libertadores. Ele prevê que o campeão da Copa do Brasil terá direito a um lugar assegurado na fase de grupos da competição continental. Mas alerta em dois parágrafos:

§ 1º – Caso o clube campeão da COPA também obtenha vaga para a Conmebol
Libertadores através do Campeonato Brasileiro, este utilizará a vaga da COPA.

§ 2º – Caso o clube campeão da COPA também obtenha vaga para a Conmebol
Libertadores por ser o campeão da Conmebol Libertadores ou da Conmebol
Sul-Americana, este utilizará a vaga obtida pela conquista continental; assim
sendo, a vaga oriunda da COPA será repassada a um clube do Campeonato
Brasileiro da Série A, respeitando a ordem de classificação.

§ 3º – O clube vice-campeão da COPA não terá direito, através desta competição, à
vaga na Conmebol Libertadores.

Isso significa na prática que um time pequeno que conseguir o feito heroico de estar na final da Copa do Brasil precisará ser campeão para estar na Libertadores. Se o seu adversário for um time grande que também conquistar o Brasileirão, Libertadores ou Sul-Americana na mesma temporada, não importa, essa vaga vai parar no Campeonato Brasileiro, competição que nasce com G-6 e que pode virar até G-9 ao longo do ano.

Além disso, o regulamento específico da Supercopa do Brasil também prevê que, no caso de um time ser campeão brasileiro e da Copa do Brasil na mesma temporada, sua realização se dará entre essa equipe e o vice-campeão do Brasileirão. Ou seja, nada de vagas para quem perder a finalíssima em setembro.

3 – Não há gol qualificado como critério de desempate na Copa do Brasil

Pela terceira temporada seguida, a Copa do Brasil vai manter o critério de pênaltis para decidir o time classificado em qualquer empate no placar agregado de um confronto a partir da terceira fase.

3ª a 8ª Fase – em caso de empate em pontos ganhos entre os 2 (dois)
clubes ao final das fases, o desempate será definido observando os critérios
abaixo:
1º. Maior saldo de gols;
2º. Cobrança de pênaltis.

Parágrafo único – A disputa de pênaltis, quando aplicável, deverá ser iniciada em
até 10 minutos após o término da partida.

E tente não bagunçar a sua cabeça ao longo da temporada: na Libertadores e na Sul-Americana, o critério do gol como visitante continua valendo. Você pode comemorar ou lamentar situações diferentes em um mesmo mês com placares iguais do seu time.

4 – Visitante tem vantagem do empate na primeira fase e ainda leva parte da renda

Na fase que começa hoje, a Copa do Brasil coloca os times de pior ranking como mandantes e dá aos visitantes a vantagem do empate. Isso mesmo. A partida é única, não há jogo de volta, e o time de fora ainda pode se classificar se segurar um 0 a 0. Essa prática tem sido comum nos últimos anos.

O protecionismo aos times maiores continua. Veja o que diz o artigo 22º:

Art. 22 – A renda líquida na 1ª e 2ª fases será dividida entre os clubes na relação de
60% para o clube classificado e 40% para o eliminado

É exatamente isso. Você pode ser um time pequeno que encara uma equipe de Série A, com diferença enorme de orçamento. Sua cota de participação na primeira fase não chega a R$ 600 mil, enquanto a do adversário passa de R$ 1 milhão. Para “melhorar”, se der a lógica que é a sua eliminação, você vê 60% da renda no seu estádio ir parar nas mãos dele. E, mesmo que consiga o milagre de avançar, ainda perde 40% dela.

Pelo menos os mandos de campo na próxima fase foram definidos por sorteio. Ou seja, algumas equipes terão a chance de enfrentar grandes clubes nos estádios deles e abocanhar 40% da renda mesmo perdendo. Mas é algo para os poucos que conseguirem passar de fase e ter essa chance.

Aliás, o regulamento é omisso no que se refere a um possível prejuízo de bilheteria. Não se sabe se o mandante “morreria” com a conta para pagar sozinho, se teria alguma ajuda, ou o desfalque seria compartilhado com o visitante. O mais provável é que o time da casa se vire, mesmo.

5 – Capacidade mínima para estádios só é exigida a partir da 4ª fase

A única coisa que o regulamento exige nas três primeiras fases é que jogos com previsão de transmissão ao vivo na TV tenham sistema de iluminação adequado para partidas noturnas.

A partir da 4ª fase, a CBF só permitirá a realização de jogos em estádios com capacidade mínima de 10 mil torcedores sentados e sistema de iluminação. Nas duas últimas fases, a capacidade mínima sobe para 15 mil.

6 – Cartões são zerados após a 4ª fase da Copa do Brasil

É como se a Copa do Brasil começasse de novo com a entrada dos times da Libertadores e os outros três pré-classificados para as oitavas de final. E faz sentido, afinal, não seria justo que os clubes que já estavam na competição nacional desde o início entrassem com atletas pendurados enquanto os recém-chegados da aventura continental estivessem zerados. No entanto, suspensões por terceiro cartão amarelo ou expulsão no último jogo da 4ª fase deverão ser cumpridas normalmente.

Art. 35 – Ao final da Quarta Fase os cartões amarelos serão zerados, o que não inclui o
terceiro cartão amarelo nem o cartão vermelho, cuja suspensão automática
decorrente permanece em vigor.

7 – Cruzamentos para o título serão definidos nas quartas de final

O próximo sorteio na Copa do Brasil acontece após o fim da terceira fase, quando sobrarem 10 times. Essas equipes se enfrentam em cinco duelos no quarto estágio da competição para definir quem se junta aos 11 times já garantidos nas oitavas de final.

Quando essa fase chegar, serão sorteados apenas os oito duelos. É só nas quartas de final que o sorteio será montado em um diagrama com cruzamentos prontos até a grande final. E cada fase terá um sorteio à parte para definição do mando de campo nos jogos de ida e volta.

Ficou com mais alguma dúvida? Fale para a gente nos comentários. 🙂

CONHEÇA NOSSO NOVO CANAL NO YOUTUBE

LEIA MAIS
1ª Supercopa do Brasil usou jogos da Libertadores. E se tivesse continuado?
Supercopa do Brasil: última edição teve Corinthians campeão com menos de 3 mil
– Brasileirão: 1ª grande guerra por direitos de TV envolveu quatro emissoras há 25 anos
– Globo chegou a anunciar criação de canal chamado “ESPN Fox Sports” há 20 anos
– Brasileirão: Como o dinheiro da TV foi distribuído entre os fundadores do C13 desde 2001
– Brasileirão: Linha do tempo mostra evolução do ranking de transmissões da TV aberta em SP
– Projeção: Quanto cada time ganhou com televisão no Brasileirão 2019 
– Brasileirão 2019 teve 184 jogos exclusivos no PPV; veja ranking por clubes 
– Brasileirão 2019: veja estados e clubes mais afetados pelo bloqueio de praça na TV paga 
– Globo: Diferença entre rivais de SP no Ibope cai no Brasileirão 2019; veja os números 

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS:

Twitter

Facebook