O Brasileirão inaugura em 2019 uma nova era nos contratos de televisão. No sinal aberto, por exemplo, uma cota de 30% do valor pago pela Rede Globo aos clubes vai ser distribuída de acordo com a quantidade de jogos exibidos durante a competição.

Como esse assunto ganhou nova importância, e também há muitos anos torcedores dos quatro grandes de São Paulo debatem sobre os espaços que seus times ganham na TV aberta, o Blog do Allan Simon passa a publicar a partir de hoje um levantamento inédito que mostra quantas partidas cada um teve na Globo, Record, Bandeirantes e Manchete desde que o Campeonato Brasileiro possui contratos fixos de transmissão. Ou seja, a partir de 1987. Também foram consideradas duas transmissões do SBT na final do Brasileirão daquele ano, aquele considerado pela CBF e pela Justiça, que deu ao Sport o título contra o Guarani.

Até então, as transmissões de TV eram feitas mediante acordos individuais esporádicos com os clubes. O levantamento em questão busca contabilizar escolhas feitas pelas emissoras quando elas possuem em contrato todo um campeonato para fazer suas opções, daí o recorte feito desde a Copa União de 1987, quando surgiu o Clube dos 13 para organizar um campeonato sem a CBF e com um contrato inédito com a Rede Globo.

Como a edição atual está apenas no começo, não vamos contabilizar agora os seus dados. Todos os números que serão publicados neste e nos próximos posts da série são referentes às transmissões das emissoras entre 1987 e 2018. Este levantamento considera apenas as exibições feitas para a região metropolitana de São Paulo (leia mais abaixo sobre a metodologia das pesquisas).

No primeiro post, vamos mostrar quantas partidas tiveram os quatro maiores times de São Paulo no período. O Corinthians, como já esperado, dominou o ranking. Foram 432 partidas transmitidas até o fim do ano passado. A segunda colocação ficou com o São Paulo, que teve 340 jogos. O terceiro lugar é do Palmeiras, com 277 duelos, apenas um a mais que o quarto colocado, o Santos, com 276.

O Santos chegou perto do Palmeiras graças ao espaço que o time teve em jogos transmitidos com exclusividade pela Band e pela Record. Isolando apenas as exibições feitas pela Globo em São Paulo, o Peixe vê a desvantagem aumentar muito. O Palmeiras teve 253 partidas no canal paulistano da maior emissora do país, enquanto o time alvinegro praiano ficou com apenas 187 jogos entre 1987 e 2018.

É importante destacar que os quatro grandes não fizeram a mesma quantidade de partidas nesse período pelo Campeonato Brasileiro. O Palmeiras, por exemplo, teve duas temporadas de ausência por estar na Série B (2003 e 2013). O Corinthians teve uma (2008). Além disso, há uma grande parte desse levantamento ainda realizada em mata-mata (1987-2002), que tinha variações no total de jogos de cada clube de acordo com a campanha feita por eles. Quanto mais longe, mais jogos.

Porém, considerando os jogos de Globo, Band, Record e Manchete, os percentuais de cada clube na TV aberta em relação ao total de partidas disputadas por cada um reproduz o ranking. O Corinthians teve 44% de seus jogos transmitidos de graça em São Paulo. O Tricolor paulista aparece em segundo lugar, com 33,8% de aproveitamento. O Palmeiras apareceu na TV aberta em 30,1% das vezes em que jogou no Brasileirão no período. O Santos completa a lista, com 27,4%.

Nos próximos posts, vamos mostrar os espaços que times de fora do estado tiveram na TV aberta em São Paulo ao longo desses mais de 30 anos, quantos jogos de cada clube foram exclusivos na Band entre 1990 e 1991, quando a emissora mostrou sozinha o Brasileirão, e também quantas partidas Record e Band tiveram com exclusividade na época do sublicenciamento feito pela Globo no Campeonato Brasileiro, entre 2002 e 2015.

Também vamos mostrar o retrospecto de Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos em jogos transmitidos pela emissora. Afinal de contas, aquele seu amigo que diz que Globo, Band e Record “dão azar” ao time do coração tem razão? E aquela sensação de que saem poucos gols, é real? Todos esses dados e muitos outros estarão nesta série que inauguramos hoje.

A pesquisa

Este levantamento foi realizado com base nas informações contidas em tabelas da CBF, consultas aos arquivos dos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo, da revista Placar e do site Papo de Bola, às tabelas do UOL Esporte no final da década de 1990, tudo isso com confirmação de dúvidas que surgiram durante a apuração também por meio de vídeos das transmissões e chamadas disponíveis no YouTube, além de um reforço de checagem nos acervos dos jornais O Globo (RJ) e Correio do Povo (RS) para que não houvesse nenhuma data pendente de exibições em todo o país nas emissoras que tiveram os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro entre 1987 e 2018. Fazemos também um agradecimento ao jornalista Rafael Alaby, do Torcedores.com, que contribuiu com a pesquisa em algumas edições da era dos pontos corridos.

Não estão consideradas as exibições de jogos diferentes nas mesmas datas nas emissoras afiliadas da Globo no estado de São Paulo, pois são transmissões muito regionalizadas que recortam demais o público consumidor. Foram catalogadas 1354 exibições de partidas do Brasileirão nesse período nos canais Globo, Manchete, Record e Bandeirantes.

Só não foi possível determinar as transmissões de três jogos na Copa União de 1987, quando a Rede Globo fazia sorteios com 15 minutos de antecedência para definir quais partidas seriam exibidas aos domingos, e se uma partida foi ou não transmitida no dia 28 de março de 1992, quando o jogo previsto para exibição, Sport x São Paulo, foi adiado por causa de chuvas. Ou seja, foram para as contas finais os dados de 1350 partidas que tiveram sua transmissão confirmada pela pesquisa. Se, nos próximos tempos, forem confirmados os dados das quatro datas-exibições que ficaram faltando, faremos as atualizações dos rankings.

Podem haver eventuais e raras discrepâncias com a realidade em casos nos quais as emissoras anunciaram fechamento de sinal para São Paulo em jogos realizados na Capital, mas acabaram liberando a exibição em cima da hora em comum acordo com os clubes, prática vista algumas poucas vezes nos anos 1980 e 1990. No entanto, isso representa parcela mínima no total de datas e jogos apurados neste levantamento.

Este estudo não tem a intenção de comparar as audiências dos jogos do Brasileirão, pois lidamos com um período muito amplo, entre 1987 e 2018, com profundas mudanças no consumo e nos hábitos do povo brasileiro, como a entrada da TV por assinatura, pay-per-view, e a própria dificuldade de coleta de dados confiáveis de cada jogo individualmente nos últimos 32 anos.

É importante esclarecer que não foram considerados os jogos do Módulo Amarelo da Copa União de 1987 transmitidos pelo SBT, apenas os dois duelos finais entre Guarani e Sport que valeram o título de campeão brasileiro daquela temporada, de acordo com decisão da CBF e da Justiça brasileira. Da mesma maneira, foram excluídos do levantamento eventuais transmissões em TV aberta do Módulo Amarelo da Copa João Havelange de 2000, bem como dos jogos da Seletiva para a Libertadores, disputada em 1999 com os times eliminados do Brasileirão, mas não sendo parte oficial da competição.

Também vale lembrar que a conta considera número de jogos que tenham sido exibidos em TV aberta. Partidas que foram transmitidas por mais de um canal não contaram mais de uma vez no levantamento.

Os dados são de uma primeira fase das pesquisas, que poderão no futuro incluir jogos transmitidos pela TV aberta no Rio de Janeiro e também os que foram exibidos de forma regionalizada em algumas partes do Brasil.

LEIA MAIS
– Globo transmitiu em SP quase metade dos jogos do Corinthians nos pontos corridos 
– Quanto ganhava em média um jogador em cada time da Copa União 1987?
– Quanto custava assinar o Premiere no primeiro ano de PPV no Brasileirão em 1997?
– Balanço: como foram as audiências dos paulistas na Globo na Copa do Brasil 2019
– Valores de passes e rumores do Mercado da Bola no Brasileirão…1971! 
– A tabela perdida da Série B 2003 em pontos corridos com Palmeiras e Botafogo