O Morumbi completou 59 anos de história no dia 2 de outubro. A inauguração oficial aconteceu em jogo do São Paulo contra o Sporting Clube de Portugal, de Lisboa, vencido pelo Tricolor por 1 a 0 com um gol de Peixinho aos 12 minutos. O Estádio Cícero Pompeu de Toledo é o tema de hoje da seção “Quanto Custava?”.

Entre as comemorações pelo aniversário do Morumbi, o São Paulo publicou em seu site oficial um livro digital organizado na época por Thomaz Mazzoni, dos jornalistas esportivos mais importantes da história do país, autor dos nomes de vários clássicos (Choque Rei, Dérbi, Majestoso, San-São). Nele, um compilado de notícias, propagandas e documentos históricos que marcaram a trajetória desde o início da construção até o jogo inaugural, feito diante de mais de 60 mil pessoas em um estádio inacabado.

Nos documentos, encontramos o borderô do jogo, ainda chamado de “borderaux”. Nele foi possível achar os preços cobrados pelos ingressos. Foram 50.889 entradas vendidas nas gerais, cada uma pagando Cr$ 100. E outros 5.559 ingressos das numeradas, vendidos pelo preço de Cr$ 500 cada. O público total passou de 60 mil porque houve a presença de mil convidados, 800 ingressos foram distribuídos gratuitamente, e ainda por cima há a estimativa de 6,5 mil invasores que entraram sem pagar.

Aqui na seção “Quanto Custava?”, normalmente usamos o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para atualizar valores porque o índice medido pelo IBGE é considerado como a inflação oficial do Brasil.

Acontece que ele existe apenas desde 1980. Para alcançar o ano de 1960, nós vamos precisar usar o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), medido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) desde a década de 1940. A conversão entre moedas é feita por calculadora disponibilizada pelo Banco Central do Brasil.

Posto isso, vamos aos números. A entrada para as gerais do Morumbi, que custava Cr$ 100, saía pelo equivalente a R$ 20,29 de hoje. Já o ingresso das numeradas, que era vendido a Cr$ 500, custava R$ 101,47 de hoje.

O salário mínimo em 2 de outubro de 1960 era de Cr$ 6 mil (só no dia 15 daquele mês, o então presidente Juscelino Kubitschek assinou decreto aumentando para Cr$ 9,6 mil). Ou seja, o ingresso de arquibancada comum custava apenas 1,6% do salário mínimo em vigor. O valor atualizado se refere a 2,03% do mínimo atual de R$ 998. 

O ingresso mais caro e “elitizado” para a época custava 8,3% do salário mínimo de 1960. E seu valor atualizado é equivalente a 10,1% do mínimo de hoje. 

De acordo com o borderô do jogo, o São Paulo arrecadou Cr$ 7.868.400 com a venda de todos os ingressos. Foram quase 36 mil vendidos de forma antecipada, mais 20 mil na hora da partida nas bilheterias. Trazendo com o mesmo método para os valores atuais, o Tricolor conseguiu uma renda de R$  1.596.862,53 com a inauguração de seu estádio, que só ficaria pronto de verdade em 1970, mas viveu constantes mudanças e reformas desde então.

Aliás, vale lembrar que quem foi ao Morumbi em sua inauguração ainda concorreu a cinco prêmios um sorteio. Foram dados um “automóvel Volkswagen”, “um aparelho TV-ABC”, “uma vitrola Windson”, “uma máquina fotográfica Flexaret” e um “relógio de parede”.

Reportagem de “A Gazeta Esportiva” do dia 3 de outubro de 1960 dizia ainda que o público só não foi maior porque “milhares de pessoas não puderam chegar ao estádio, pelas deficiências do trânsito”, mas “mesmo assim, aquela importância se constitui em novo recorde paulista, em todos os tempos”, se referindo à renda obtida no duelo diante do Sporting.

LEIA MAIS
– Quanto custava o Peg & Fale Gol, celular oficial dos times paulistas em 2001? 
– Como era e quanto custava comprar uma camisa oficial dos grandes de SP nos anos 1980? 

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS:

Twitter: https://twitter.com/allansimon91

Facebook: https://www.facebook.com/jornalista.allansimon/