São Paulo é uma das capitais do futebol mundial. A cidade tem três clubes gigantes (Corinthians, Palmeiras e São Paulo) que fizeram história, e ainda sediou várias conquistas de outro gigante que costuma visitar os paulistanos, o Santos.  Tanta grandeza pode ser notada pela quantidade de estádios que a capital paulista possui.

Allianz Parque, Arena Corinthians, Canindé, Fazendinha, Ícaro de Castro Mello, Morumbi, Nicolau Alayon, Pacaembu, Rua Javari. Diferentes estilos, jeitos, capacidades e divisões do futebol estão representadas nos estádios de São Paulo. Mas antigamente tudo era mais simples.

O Blog do Allan Simon, dentro da série “Como Era?”, visitou o portal “Memória Paulista” na internet. O site possui imagens da Região Metropolitana de São Paulo feitas por satélite em 1958. Há 62 anos, com fotos em preto e branco, já era possível ver a capital paulista por cima. E, claro, reconhecer como eram os estádios naquele tempo. E também os que ainda não existiam.

Vamos para mais essa viagem com as imagens de satélite da época e também as mais recentes disponibilizadas pelo Google. Bora com a gente:

– Allianz Parque – Palestra Itália – Parque Antarctica

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O estádio do Palmeiras já existia, mas não só não se parecia em nada com o moderníssimo Allianz Parque, como mal parecia também o Estádio Palestra Itália que marcou títulos e momentos históricos do Verdão até 2010. O “Jardim Suspenso”, por exemplo, não existia.

A ferradura atrás do gol, que ainda resiste embaixo das arquibancadas da arena, também não tinham sido construídas ainda. O que já era visível eram as arquibancadas laterais, tanto a coberta, quanto a do lado da rua Padre Antônio Tomás. E, claro, dava para notar muito bem qual já era o “gol das piscinas”.

Na comparação com a imagem abaixo, atualizada, é legal também ver a transformação do clube como um todo, mas principalmente do entorno na região.

Foto: Google

Foto: Google

– Pacaembu

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O Pacaembu era uma praça esportiva em São Paulo desde 1940. Ainda havia a “Concha Acústica”, que mais tarde seria demolida para dar lugar ao Tobogã (que hoje tem seus dias contados também). A Praça Charles Miller era muito parecida. De novo, algumas mudanças podem ser vistas no entorno, mas a essência do Estádio Municipal permaneceu a mesma desde então.

Foto: Google

Foto: Google

– Morumbi

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, só seria inaugurado no dia 2 de outubro de 1960, dois anos depois da realização dessas imagens. Mas a construção já vinha acontecendo desde 1952. Na foto, é possível ver um trecho das arquibancadas já levantado, mas ainda muito por fazer. O estádio do São Paulo Futebol Clube é um exemplo de impacto no entorno também. Na imagem de 1958 era possível apenas ver as ruas da região demarcadas. Veja como é hoje:

Foto: Google

Foto: Google

– Fazendinha

Foto: Geoportal/Memória Paulista/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista/

O Estádio Alfredo Schürig era a casa do Corinthians, que jogava, claro, no Pacaembu naquela época. Mas o espaço próprio do Timão já existia desde os anos 1920 na margem do rio Tietê. Também são visíveis algumas mudanças no entorno, sobre no outro lado do rio, e no próprio clube social alvinegro. Atualmente, o espaço recebe jogos do time feminino e da base corintiana. O time profissional tem a moderna Arena Corinthians, em Itaquera, construída e finalizada em 2014. Desde então, o time não precisou mais usar outros estádios de maneira frequente.

Foto: Google

Foto: Google

– Canindé

Foto: Geoportal/Memória Paulista/

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O Canindé é outro caso chocante. Antiga propriedade do São Paulo Futebol Clube, foi adquirido pela Portuguesa e ainda tinha a forma de “Ilha da Madeira”. Passou por profundas reformas que deixaram o estádio maior e mais moderno nas décadas seguintes. Acabou “parando” no tempo nos últimos anos, com a queda da Lusa para a segunda divisão do futebol paulista e o desaparecimento em competições nacionais.

Nesse caso, a transformação foi total no terreno e também fora dele. A região do Canindé é outra, 62 anos depois.

Foto: Google

Foto: Google

– Rua Javari

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O histórico estádio do Juventus da Mocca, Conde Rodolfo Crespi, já era figurinha marcante no futebol de São Paulo. Ocupava o mesmo apertado espaço entre a Rua Javari e a Rua dos Trilhos. É interessante também observar o quanto a região mudou no entorno, mesmo mantendo as características do bairro operário de forte influência italiana que marcou a capital naquela época.

Foto: Google

Foto: Google

– Nicolau Alayon

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O estádio do Nacional, na Comendador Souza, é mais um ponto histórico, turístico e – diríamos – obrigatório em São Paulo. Forma com a Rua Javari uma espécie de “resistência” à modernidade na capital paulista. Ver partidas nesses dois estádios é sentir até hoje uma saudade até do que não se viveu, como diria um grande craque do futebol brasileiro.

No caso do Nicolau Alayon, o tempo cuidou de deixar o estádio menos isolado na região próxima à estação da Água Branca. Conjuntos de prédios e empresas ocuparam espaços completamente vazios na imagem de 1958. Um dos espaços preenchidos, na parte alta da imagem, é onde ficam os centros de treinamento de Palmeiras e São Paulo na Barra Funda.

Foto: Google

Foto: Google

– Ícaro de Castro Mello e Ginásio do Ibirapuera

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

O estádio Ícaro de Castro Mello, no Ibirapuera, chegou a receber jogos de futebol profissional, mas ainda não existia em 1958. Apenas a pista de atletismo já marcava espaço onde hoje há uma versão bem mais moderna.

Esses estádio leva o nome do arquiteto que idealizou uma obra mais famosa, logo ao lado, o Ginásio do Ibirapuera, casa do vôlei e de tantos outros esportes em São Paulo, que tinha sido inaugurado em 1957 e, portanto, aparece novíssimo em folha na imagem acima, feita um ano depois.

Foto: Google

Foto: Google

– Bônus: Arena Corinthians

Foto: Google

Foto: Google

É evidente que a Arena Corinthians seria um vazio se comparássemos a uma foto de satélite feita até dez anos atrás. O local foi construído do zero para a Copa do Mundo de 2014. Mesmo sendo a ideia deste post ver como eram os estádios existentes, é interessante trazer uma imagem de 62 anos atrás para mostrar o que era a região onde o Timão tem sua casa atualmente. Por isso, invertemos, fique agora com a imagem de antigamente:

Foto: Geoportal/Memória Paulista

Foto: Geoportal/Memória Paulista

E fica a nossa dica: Dá para ver quase toda a Região Metropolitana de São Paulo como era em 1958. É possível usar um modo “mapa” para ajudar a nortear em espaços onde “só tinha mato”. É só clicar e navegar pelo Geoportal no Memória Paulista.

LEIA MAIS
– Quanto valiam os patrocínios dos clubes no Brasileirão 1994 em dinheiro de hoje?
– Quanto valiam os patrocínios das camisas dos clubes brasileiros há 35 anos? 
– Google Street View guarda transformação do Palestra Itália em Allianz Parque